quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Pacientes do Ophir Loyola comemoram doação do Livro Solidário






Alegria foi a tônica da manhã da última segunda-feira (17) no Hospital Ophir Loyola, referência no tratamento de câncer no Pará. Isso porque a Imprensa Oficial do Estado, por meio do projeto Livro Solidário, fez a entrega de seis carrinhos de leitura e cerca de 800 livros ao hospital. Um dos destaques da solenidade foi a apresentação coral ‘Voz & Vida’, regido pela maestrina cubana Maria Antônia Giménez e formado por servidores do próprio HOL.

O acervo doado é composto basicamente por literatura adulta, infanto-juvenil, religiosa e histórias em quadrinhos. Aproximadamente 120 livros irão integrar cada carrinho, que serão distribuídos entre as alas pediátricas e de adulto do hospital, além de unidades ligadas ao HOL: Casa Ronald McDonald – que dá apoio a crianças que vêm de outras cidades para tratamento no Ophir Loyola e não têm onde ficar –; Centro Hospitalar Jean Bitar e Núcleo de Acolhimento ao Enfermo Egresso (NAEE).

Para Carmen Palheta, diretora de Documentação e Tecnologia da Imprensa Oficial do Estado e coordenadora geral do Livro Solidário, a princípio, a ideia dos carrinhos não fazia parte das metas estabelecidas pelo projeto, mas a proposta de parceria com o hospital fez com que novos caminhos fossem descobertos. “Esta iniciativa nos deu a oportunidade de atender um público diferente do que nós havíamos planejado inicialmente. Hoje, o HOL é o segundo hospital contemplado com doações do Livro Solidário; o primeiro foi a Santa Casa”, destaca.

Biblioterapia – O período de internação pode levar meses e invariavelmente interfere no desenvolvimento social e familiar da pessoa em situação de adoecimento. Nesse sentido, a leitura surge como alternativa para reduzir o tempo ocioso dos pacientes e seu sofrimento. De acordo com Laides Barros, coordenadora do Grupo de Trabalho de Humanização do Ophir Loyola, ações como esta são de grande relevância para reduzir possíveis tensões desencadeadas pelo ambiente hospitalar e também para o desenvolvimento sociocultural dos usuários. “A leitura amplia os espaços de convivência e interação social e, consequentemente, possibilita um melhor enfrentamento do adoecimento”, explica a psicóloga.

Já o diretor da Sociedade Bíblica do Brasil, Adriano Casanova, ressalta a importância da leitura para o fortalecimento espiritual e do caráter. “Entendemos que apoiar ações como esta, em que você viabiliza o acesso a materiais que irão trabalhar a valorização humana, é muito importante”.

Serviço: O projeto Livro Solidário, idealizado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene, faz parte do núcleo de Articulação e Cidadania que começou em 2004. São parceiros do projeto: Secretarias de Estado de Educação; de Planejamento, de Orçamento e Finanças; e de Obras Públicas; Loteria do Estado do Pará; Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado e Sociedade Bíblica do Brasil, além das doações da população em geral. 

As doações podem ser feitas na sede da Imprensa Oficial do Estado (Travessa do Chaco, 2271). Mais informações: (91) 4009-7847 e 4009-7800 ou pelo e-mail livrosolidario@ioe.pa.gov.br.

Texto: Keila Rodrigues
Fotos: Fernando Sette Câmara

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Livro Solidário instala Espaço de Leitura em Mosqueiro




Da Redação
Agência Pará de Notícias

Mais um Espaço de Leitura, vinculado ao projeto Livro Solidário, foi instalado na manhã desta quarta-feira (5) na sede da ONG Viva Mosqueiro. Cerca de 2 mil moradores da Ilha de Mosqueiro, conhecida pelos atrativos turísticos, serão beneficiados com o espaço, que conta com um acervo de 1.400 livros, incluindo enciclopédias, dicionários, literatura infanto-juvenil, livros didáticos do ensino fundamental ao médio, entre outros. São beneficiados professores, alunos e outros segmentos sociais.

Para o estudante Dailson de Almeida, 16 anos, o espaço de leitura será um incentivo a mais para a comunidade. “Gosto muito de participar das atividades desenvolvidas pela ONG. Além de me deixarem mais feliz, tenho a oportunidade de fazer coisas com que sempre sonhei”, disse Dailson, um dos adolescentes beneficiados pelas atividades oferecidas pela "Viva Mosqueiro". Ele aprendeu na entidade as técnicas para ser DJ, e hoje já anima festas, aplicando o que aprendeu.

O presidente da ONG, Paulo Roberto Lochard, ressaltou que, além do incentivo à leitura, são oferecidos cursos de capacitação profissional e atividades de geração de renda, como forma de auxiliar moradores da ilha a encontrar alternativas de trabalho. “O Espaço de Leitura veio para complementar nossas atividades. Aqui, ele terá duas funções fundamentais: promover o desenvolvimento das crianças que frequentam a ONG e servir para que as mães deixem seus filhos se capacitarem”, acrescentou.

Transformação - Um dos principais objetivos do projeto Livro Solidário é transformar a realidade de pessoas em situação de vulnerabilidade social, por meio do incentivo à leitura e à educação. Para Cláudio Rocha, presidente da Imprensa Oficial do Estado (IOE), autarquia que coordena o projeto, este trabalho é fundamental para o desenvolvimento da comunidade. “É uma satisfação poder contribuir para o crescimento das pessoas, sobretudo por meio de uma iniciativa de fomento à educação, como o Livro Solidário”, frisou Cláudio Rocha.

O projeto Livro Solidário, idealizado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene, faz parte do Núcleo de Articulação e Cidadania e começou a ser realizado em 2004. São parceiros do projeto as secretarias de Estado de Educação (Seduc); de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), e de Obras Públicas (Seop); a Loteria do Estado do Pará (Loterpa); a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) e a Sociedade Bíblica do Brasil, além de doadores em geral.

Serviço - As doações podem ser feitas na sede da Imprensa Oficial do Estado, na Travessa do Chaco, 2271, bairro do Marco. Mais informações podem ser obtidas pelos fones (91) 4009-7847 e 4009-7800, ou pelo e-mail livrosolidario@ioe.pa.gov.br.

Texto:
Keila Rodrigues - IOE
Fone: (91) 4009-7841 / (91) 8309-5953


Imprensa Oficial do Estado
Travessa do Chaco, 2.271. Belém-PA. CEP: 66093-410
Fone: (91) 4009-7860 / 7800 / 7801





quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Livro Solidário chega aos pacientes da Fundação Santa Casa de Misericórdia










Seis carrinhos de leitura contendo cerca de 650 livros e revistas foram entregues pela Imprensa Oficial do Estado (IOE) à Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, na manhã desta quarta-feira, 21. Os livros fazem parte do projeto Livro Solidário, coordenado pela IOE e vão beneficiar, diretamente, 200 pessoas, entre pacientes e funcionários do hospital. 

O jovem Jardel de Nazaré que há oito anos passa por constante tratamento hospitalar, falou da alegria com a chegada dos livros. “Eu já gostava de ler; agora, com esse monte de livros novos, vou ler muito mais, pois quando leio, esqueço que estou em um hospital”. Ele foi um dos presentes à solenidade de entrega dos carrinhos que ocorreu na Biblioteca Prof. Dr. João Fecury, na própria Santa Casa, e contou também com a presença da presidente da Santa Casa, Eunice Begot; do presidente da IOE, Cláudio Rocha; representante da classe médica, além de terapeutas, pacientes e demais servidores dos órgãos envolvidos com o projeto. 

Também participaram do evento, o grupo de palhaços Face Solidário e o mágico Ely Carlos que fizeram brincadeiras com as crianças internadas e alegraram a entrega dos carrinhos que percorreram a ala pediátrica do hospital até a brinquedoteca. 

Na oportunidade, o presidente da IOE, Cláudio Rocha, destacou a importância do livro para a recuperação de pessoas em situação de internação hospitalar. “O livro nos ajuda a sonhar, vivenciar novas experiências e ver o futuro; e isso, no ambiente hospitalar, é muito importante”, observou. Ele também ressaltou que a ideia dos carrinhos é justamente fazer chegar os livros aos pacientes que não possuem condições de se deslocarem até os ambientes de leitura do hospital. 

Livro como terapia - Para a terapeuta ocupacional que atua na Santa Casa, Clévia Dantas, a criança tem uma concepção diferente do adulto em relação à situação de internação. Segundo ela, o contexto pode parecer positivo no início, considerando que ele propicia maior proximidade da criança com a mãe. Entretanto, com o passar do tempo, a internação começa a ser vista negativamente. “Em períodos muito longos de internação, a criança percebe que houve uma ruptura em seu desenvolvimento social e familiar e isso causa sofrimento”, comenta. “O contato com a leitura, porém, pode amenizar os reflexos desse afastamento, pois possibilita à criança dispersar-se da condição de dor e minimizar seu sofrimento”, explica a especialista. 

A presidente da Santa Casa, Eunice Begot, comentou que a doação do Livro Solidário chegou em um momento oportuno, considerando que a instituição está em processo de resgate da Política Nacional de Humanização. “Alguns pacientes da Santa Casa têm um tempo de permanência prolongado, o que acaba causando mais desconforto, principalmente os que se encontram em tratamento neurológico e a leitura pode amenizar essa sensação, além de suprir os momentos ociosos”, disse. 

Números - Atualmente, a Santa Casa de Misericórdia do Pará atende a pessoas de todo o Estado, além de outros estados das regiões Norte e Nordeste do Brasil, o que corresponde a 12,6 mil atendimentos por mês, dos quais mais de 500 são partos. A fundação também desenvolve, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o Projeto Classe Hospitalar, que garante que as crianças internadas não parem de estudar. 

Serviço: O projeto Livro Solidário, idealizado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene, faz parte do núcleo de Articulação e Cidadania que começou em 2004. São parceiros do projeto: Secretarias de Estado de Educação; de Planejamento, Orçamento e Finanças; e de Obras Públicas; Loteria do Estado do Pará; Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado e Sociedade Bíblica do Brasil, além das doações da população em geral. 

Doações podem ser feitas na sede da Imprensa Oficial do Estado, localizada na Travessa do Chaco, 2271. Mais informações: (91) 4009-7847 e 4009-7800 ou pelo email livrosolidario@ioe.pa.gov.br. 


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Livro Solidário doa acervo para carrinhos de leitura da Santa Casa


Crianças e demais pacientes da Santa Casa de Misericórdia do Pará receberão seis carrinhos de leitura do Livro Solidário, projeto que a Imprensa Oficial coordena. A solenidade de entrega acontece nesta quarta-feira (21) às 9 h, na Biblioteca Prof. Dr. João Fecury, na Santa Casa. Inicialmente, 628 livros e revistas, que foram arrecadados e selecionados para atender aos pacientes, farão parte do acervo dos carrinhos que circularão pelas alas do hospital. 

Por passarem muito tempo hospitalizadas, as crianças (público-alvo da iniciativa) acabam ficando afastadas do contato com a família e com a escola. Nesse contexto, o universo lúdico da leitura pode amenizar os reflexos desse afastamento, além de contribuir para a formação cultural da criança. Para a bibliotecária do projeto, Ana Paula Duarte, iniciativas como esta são importantes para favorecer o reestabelecimento da saúde das pessoas em situação de internação hospitalar, sobretudo das crianças. “Acredito que em casos como estes, a leitura é fundamental no processo de recuperação, pois promove momentos de lazer e descontração, influenciando diretamente no bem-estar”. 

O Projeto Livro Solidário começou como um estímulo à doação de livros para comunidades com maior vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Belém. No entanto, a iniciativa cresceu e hoje também atende instituições como a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Superintendência do Sistema Penal do Estado (Susipe), Santa Casa de Misericórdia do Pará e Hospital Ophir Loyola.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Projeto Livro Solidário faz a doação de três mil livros para a Susipe

A doação ocorreu na sede da IOE, com a presença do Superintendente do Sistema Penal, André Cunha e do presidente da Imprensa Oficial do Estado, Cláudio Rocha. Foto: Rodolfo Oliveira / Ag. Pará

Foto: Rodolfo Oliveira / Ag. Pará

Foto: Rodolfo Oliveira / Ag. Pará

O projeto Livro Solidário, da Imprensa Oficial do Estado, entregou nesta quarta-feira (31) três mil livros à Superintendência do Sistema Penal (Susipe). A doação vai ampliar o acervo de dez espaços de leitura. O Pará tem atualmente 12,5 mil presos, dos quais 11.570 estão sob custódia da Susipe. Parte do acervo doado também irá para o projeto de biblioteca móvel da Susipe, chamado “Arca da Leitura”.

“Acreditamos que qualquer mudança só pode acontecer se ela passar pela educação, pois por meio dela conseguimos inserir novos valores sociais”, disse o superintendente da Susipe na Região Metropolitana de Belém, André Cunha. Todas as obras doadas estão em perfeito estado de conservação e passaram por um criterioso trabalho de limpeza e catalogação por tema.

“Ficamos muito felizes em poder levar leitura a pessoas que normalmente não têm acesso a ela”, disse o presidente da Imprensa Oficial, Cláudio Rocha. Além dos internos do Sistema Penitenciário, o Livro Solidário também alcançou espaços como organizações não governamentais (ONGs), hospitais e outras instituições públicas.

“Colaborar com um projeto de reinserção social como o da Susipe reforça nosso sentido de parceria entre os órgãos públicos e, por outro lado, colabora para amenizar as diferenças sociais e promover a inclusão social”, afirmou a coordenadora geral do Livro Solidário e diretora de Documentação da Imprensa Oficial, Carmen Palheta.

Segundo a Susipe, 13% dos detentos do Pará estão em idade escolar, percentual considerado baixo diante do montante de presos sob a custódia do Estado, embora acima da média nacional, que é hoje de 9,3%.

Das 40 unidades prisionais do Estado, 21 têm sala de aula e nove mantêm bibliotecas. Apesar do déficit, dez novas unidades prisionais em fase de construção ganharão espaços educacionais. Com o reforço no acervo, a Susipe pretende aumentar a capilaridade das atividades de educação no bloco carcerário e amenizar os momentos de ociosidade dos detentos, além de atender a demandas de informação da população carcerária.

Vigora no Brasil, desde 30 de junho de 2011, a Lei n° 12.433, que garante a remissão da pena por estudo, na mesma proporcionalidade estabelecida para a remissão por trabalho – ou seja, o detento cumpre um dia a menos se estudar três. “Com essa mudança, aumentou muito a procura pela atividade educacional, e o sistema penitenciário tem o dever de ampliar essa oferta”, disse o titular da Susipe.

Ascom Imprensa Oficial do Estado

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

IOE entrega Espaços de Leitura


Foto: Lena Arruda
Victória Costa e colegas durante apresentação artística
Foto: Keila Rodrigues

Encantamento. Essa é a palavra que descreve a expressão de Victória Costa, aluna da Escola em Regime de Convênio Associação Cristã do Benguí ao entrar, pela primeira vez,no Espaço de Leitura Livro Solidário inaugurado naquela escola, no último dia 27 de setembro. O olhar da menina de 11 anos percorria as estantes coloridas e cheias de livros como se avistasse um tesouro que lhe fazia brilhar os olhos, tamanha sua empolgação. “É maravilhoso ter um lugar como este aqui na escola; a gente precisava de um local assim”, comenta a estudante, destacando que achou o ambiente agradável e que gostou muito da variedade de livros.

O Espaço de Leitura da escola situada no bairro do Benguí, em Belém, está entre os seis que serão entregues, até o final de novembro,pelo projeto Livro Solidário, que prevê a implantação de, no mínimo, 10Espaços de Leituraaté o final de 2014.Além da escola do Benguí, em setembro foram inaugurados mais dois Espaços: um em Benevides, na unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa); e outro em Ananindeua, instalado no 3º Grupamento Bombeiro Militar.

Todos os beneficiados pelo projeto têmuma característica em comum: desenvolvem importantes atividades para a promoção da educação e formação de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Para o presidente da Imprensa Oficial, Cláudio Rocha, ao contrário do que muitos pensam, ler vai muito além do simples ato de folhear as páginas de um livro. “O ato de ler transcende capas, paredes e obstáculos - sobretudo sociais -, revelando um mundo totalmente novo, cheio de possibilidades”, enfatiza.

O Livro Solidário faz parte do núcleo de Articulação e Cidadania que começou 2004, idealizado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene. Hoje, é coordenado pela Imprensa Oficial do Estado do Pará (IOE). Sãoparceiros do projeto, as seguintes instituições:Secretaria de Estado de Educação (Seduc); Secretaria Executiva de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof); Secretaria de Estado de Obras Públicas (Sepof); Hospital Ophir Loyola (HOL); Santa Casa do Pará; Loteria do Estado do Pará (Loterpa); Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) e Sociedade Bíblica do Brasil.

Outras páginas ...
No dia 31 de outubro, o projeto Livro Solidário entregará à Superintendência do Sistema Penal mais de 3 mil livros que serão encaminhados a, pelo menos, 10 Unidades Prisionais do Estado, como estímulo às atividades de ressocialização de detentos. A doação é resultado da parceria entre Imprensa e Susipe que, entre outras ações, prevê a produção dos móveis que compõem os Espaços de Leitura implementados pelo projeto, cuja mão-de-obra é composta pelos próprios detentos do Sistema Penal.


Texto:
Keila Rodrigues - IOE
Fone: (91) 4009-7841 / (91) 8309-5953
Email: keilar.jornalismo@gmail.com

Imprensa Oficial entrega mais um Espaço de Leitura


Foto: Fernando Sette
Foto: Fernando Sette

Foto: Fernando Sette

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 02/10/2012 às 14:11


Uma banda de música regida pelo músico Luiz Cláudio Santa Rosa e composta por alunos do projeto Escola da Vida (PEV), do 3º Grupamento Bombeiro Militar, em Ananindeua, recepcionou com a música Aquarela do Brasil, de Ari Barroso, os convidados que participaram da inauguração do Espaço de Leitura Livro Solidário. A área de 110 metros quadrados abriga o terceiro espaço entregue pela Imprensa Oficial do Estado, dentro do Projeto Livro Solidário. Ele vai beneficiar militares daquele grupamento, bem como os cerca de 450 alunos que fazem parte do PEV.

Durante a inauguração, o presidente da Imprensa Oficial destacou a importância dos livros para o estímulo à criatividade e imaginação. “O homem é o único animal capaz de registrar sua própria história através da escrita; daí os livros serem peças fundamentais para esse desenvolvimento pessoal e social”, observou. O sub-comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Mário da Conceição Morais, que representou o comandante geral da corporação, reforçou a necessidade de replicar a ideia de criação de Espaços de Leitura em mais unidades do PEV, e destacou a Bíblia como “o mais importante livro de todos os tempos para a humanidade”. Na ocasião, o comandante do 3º GBM e coordenador do PEV/ Ananindeua, major Ananias de Albuquerque, destacou que os livros representam “portas que se abrem para vários mundos; que criam, ensinam e doutrinam homens e mulheres para o bem”.

Formalização

Um Termo de Doação e Compromisso contendo os direitos e deveres das instituições envolvidas com o Livro Solidário foi assinado entre Imprensa Oficial e Corpo de Bombeiros. Também foi entregue a lista do acervo de 800 livros didáticos e paradidáticos doados para o espaço, devidamente catalogados e selecionados a partir da demanda encaminhada à coordenação do Projeto Livro Solidário.

Para a aluna e monitora do PEV, Victória Nascimento, 15 anos, o espaço entregue não representa apenas um lugar de leitura, mas uma fonte de sabedoria. “Não adianta ter apenas computadores se não tivermos livros para ler”. Ela coordenou a Guarda de Honra dos alunos do PEV que executaram evoluções de ordem unida durante o evento.

Ao destacar a frase de Bill Gates que compõe o Espaço de Leitura, onde há um parâmetro entre livros e computadores, o comandante adjunto do PEV, coronel Nahum Fernandes da Silva, também afirmou que a tecnologia é importante no mundo globalizado, mas que sem livros, não somos capazes de reviver nossa própria história, pois “eles nos conduzem para mais resultados”.

Durante a cerimônia, a subchefe da Casa Civil, Lucila Serique, representou a primeira-dama do Estado, Ana Jatene, e elogiou mais essa etapa alcançada pelo projeto Livro Solidário. E parabenizou a equipe pelo cuidado e organização do Espaço. Familiares das crianças atendidas pelo PEV também participaram da inauguração.

O Projeto

O projeto "Livro Solidário" iniciou em 2004, coordenado pelo Núcleo de Articulação e Cidadania do Governo do Estado, tendo à frente a primeira-dama Ana Jatene e tem como principal objetivo o estímulo à doação de livros para comunidades com maior vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Belém. Nesta segunda edição, o projeto é coordenado pela Imprensa Oficial do Estado (IOE), que também conta com o apoio da primeira-dama.

A partir da doação de livros novos ou usado, a IOE procura atender à comunidade com a implantação de Espaços de Leitura. É uma oportunidade para a autarquia colaborar com bibliotecas comunitárias existentes nos bairros beneficiados com o projeto, bem como estimular a criação de outros espaços da mesma natureza, que funcionem como centros de leitura. Também pretende incentivar o acesso e o hábito da leitura, com vistas a contribuir para o crescimento e desenvolvimento do cidadão, bem como para sua inclusão social; e fortalecimento de valores como cidadania, solidariedade, igualdade e dignidade entre os participantes e beneficiários diretos do projeto.

Parceiros do projeto Livro Solidário:

1. Secretaria de Estado de Educação

2. Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças

3. Secretaria de Estado de Obras Públicas

4. Fundação Paraense de Radiodifusão - Funtelpa

5. Banco do Estado do Pará

6. Sociedade Bíblica do Brasil

7. Hospital Ophir Loyola

8. Hospital Santa Casa de Misericórdia do Pará

9. Superintendência do Sistema Penal

Texto:
Carmen Palheta - IOE
Fone: (91) 4009-7805 / (91) 88956880
Email: carmenpalheta@ioe.pa.gov.br

Projeto Livro Solidário traz as crianças de volta aos espaços de leitura

Foto: Lena Arruda
Foto: Lena Arruda
Foto: Lena Arruda

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 04/10/2012 às 13:54

Ao entrar na biblioteca da Escola em Regime de Convênio Associação Cristã do Benguí, o visitante logo se depara com um cartaz onde se lê: “Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever, inclusive, a sua própria história”. A frase, de autoria de Bill Gates, reflete a missão principal do Projeto Livro Solidário, criado em 2004, sob a coordenação do Articulação e Cidadania, núcleo que tem a frente a primeira-dama do Estado, Ana Jatene. Nesta segunda edição o projeto é coordenado pela Imprensa Oficial do Estado (IOE), mas mantém a parceria do Articulação e Cidadania. Além de promover a reforma de bibliotecas, o programa incentiva a doação de livros para instituições e também cria espaços de leitura, como o da Associação Cristã do Benguí. Até agora mais de 15 mil publicações já foram arrecadadas por meio desta iniciativa.

Atualmente três centros de leituras já estão funcionando em Belém. Na escola do bairro do Benguí, a criação do espaço resultou em mudanças positivas para todos. “A nossa biblioteca chegou a ficar fechada por quase dois anos. Agora com essa reforma e com a criação desse espaço dedicado à leitura, a biblioteca se tornou o local preferido dos alunos”, ressaltou a diretora da instituição, Ana Raquel Ribeiro.

A professora de Língua Portuguesa, Maria José Marques, contou que as mudanças incentivam os estudantes até mesmo em sala de aula. “Nós trabalhamos as atividades no espaço da leitura em três etapas. Primeiro eles fazem a leitura dos livros, depois voltam para a sala de aula para interpretar as histórias e em seguida fazem alguma apresentação teatral em forma de poesia ou música sobre aquilo que leram. O resultado não poderia ser mais positivo”, afirmou.

Raiana Silva, Ducliane Santos e Samuel Cardoso ficaram entusiasmados com as novidades que encontraram na biblioteca. “Nós passamos uma boa parte do dia aqui. Lemos muitas histórias em quadrinhos e também brincamos com os jogos que tem na biblioteca”, comentou Raiana. Para Samuel, o mais divertido é o colorido e o conforto do espaço. “A sala é toda colorida e tem várias coisas pra gente brincar. Gosto muito de ficar aqui”, diz o pequeno.

Texto:
Bruna Campos - Secom
Fone: (91) 3202-0923 / (91) 9306-0990
Email: brunacampos@agenciapara.com.br

Projeto Livro Solidário revitaliza biblioteca de escola no Benguí

Foto: Lena Arruda


Foto: Lena Arruda

Foto: Lena Arruda



Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 27/09/2012 às 20:33


Os alunos da Escola em Regime de Convênio Associação Cristã do Benguí agora podem deixar a imaginação fluir pelo universo literário. Eles podem encontrar histórias como a da "Chapeuzinho Vermelho", "Peter Pan" e tantas outras povoadas por castelos, princesas ou super-heróis na revitalizada biblioteca da instituição de ensino. A escola recebeu, na manhã desta quinta-feira (27), o Espaço de Leitura, um cantinho destinado à leitura, pesquisa e entretenimento dos jovens estudantes.

O novo espaço faz parte do Projeto Livro Solidário, uma iniciativa do Governo do Estado que através da doação de livros e materiais pedagógicos, oferece mais uma opção de acesso ao conhecimento e a possibilidade de transformação social e pessoal por meio da leitura. Durante a inauguração, o presidente da Imprensa Oficial do Estado (IOE), Cláudio Rocha, falou sobre as mudanças provocadas na vida das pessoas através da leitura. “ Aproveitem este espaço pois livro é vida, é conhecimento, é libertação. Eles podem concretizar sonhos, colaborar para o crescimento e para aquisição de conhecimento”.

Apesar da pouca idade, os amigos Daniel Lobato, Marcos Araújo e Jamilly Melo sabem disso e disseram que aproveitarão o espaço. Cursando o 3º ano do Ensino Fundamental, o trio diz que sempre gostou de leituras, em especial, das revistas em quadrinhos da Turma da Mônica, as quais aproveitaram para ler durante a inauguração. “Adoro a Mônica, a Magali e todo mundo da revistinha. Quando leio, começo a rir e a imaginar as confusões que eles fazem. É muito divertido”, diz Jamilly.

Responsável pelo espaço de leitura, a professora Edna Miranda, conta que a biblioteca sempre foi bem visitada, só que antes a escola dispunha de pouco material. “Esta iniciativa é maravilhosa e só veio contribuir com a nossa escola, com nossos alunos. Livro é muito bom e importante para a construção de qualquer cidadão”. A professora apresentou um número de contação de história com a participação dos alunos do 1º ano em uma adaptação do conto “A princesa e o sapo” .

Acervo - O Projeto Livro Solidário começou em 2004, idealizado por Ana Jatene. Em 2011, o projeto foi retomado pela Imprensa Oficial e faz parte do "Articulação e Cidadania", do Governo do Pará. Atualmente, já foram arrecadadas mais de 15 mil publicações.

Texto:
Fabiana Batista - Seduc
Fone: (91) 3201-5181 / (91) 8802-0325
Email: inezfabianabatista@gmail.com

Secretaria de Estado de Educação
Rod. Augusto Montenegro Km 10, S/N. Icoaraci, Belém-PA. CEP: 66820-000
Fone: (91) 3201-5205 / 5005 / 5180 / 5008
Site: www.seduc.pa.gov.br Email: gabinete@seduc.pa.gov.br

Imprensa Oficial do Estado lança novas edições na Feira do Livro



Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 21/09/2012 às 18:12

A literatura paraense terá destaque, mais uma vez, no estande da Imprensa Oficial do Estado na XVI Feira Pan-Amazônica do Livro. Um exemplo é o livro “Visagem: Espanto no Rádio Paraense”, que será lançado terça-feira (25). De autoria da jornalista e pesquisadora paraense Sandra Garcia, o livro conta a história do programa “Visagem”, que a Rádio Cultura FM veiculou entre os anos de 2003 e 2010.

“Era um programa diferente de tudo aquilo que se tem ouvido até hoje no rádio, que unia poesia, músicas alternativas, terror, humor, mixagens e efeitos sonoros”, comenta a jornalista. Não por acaso, a data de lançamento coincide com o Dia do Rádio.

Ainda na temática musical, a Imprensa Oficial lança o livro “Memórias do Instituto Estadual Carlos Gomes”, outro destaque de grande importância para a cultura do Pará, considerando que a obra apresenta produções de pesquisadores como o musicólogo Vicente Salles e as professoras Ana Maria Adade, Lia Braga Vieira e Líliam Barros. O livro trata sobre a prática pedagógica musical do Instituto.

Das notas musicais ao universo dos números, a “Tabuada Colorida”, de Dilmar Batista da Cunha, promete encantar a crianças e adultos. O livro, já na 11ª edição, busca alternativas lúdicas para facilitar o aprendizado das operações matemáticas. Para isso, o autor transformou a tabuada tradicional numa divertida brincadeira, na qual as cores estimulam o raciocínio, transformando a dificuldade em prazer.

Outro livro na mesma linha infantil é o “Letícia Coça-Coça”, de Heliana Barriga, resultado de um projeto idealizado pela escritora na década de 1990, “quando lancei um CD contendo músicas infantis que cantavam a natureza”, conta. Para o presidente da Imprensa Oficial, Cláudio Rocha, o lançamento e reedição de obras estimulam a produção literária local. “A cada ano, procuramos melhorar nossas edições, primando pela qualidade das obras e procurando conversar com os autores para trocarmos ideias sobre a melhor forma de apresentação de seus conteúdos”, diz.

A terceira edição da coletânea “Atos dos Governadores”, do pesquisador Ribamar Castro, também será um dos lançamentos previstos no estande da Imprensa Oficial do Estado. O livro aborda os principais atos governamentais ocorridos na época do Estado Novo, instituído por Getúlio Vargas, e mostra desde os convencionais decretos instituídos pelos interventores federais no Estado do Pará até as mais excêntricas decisões tomadas pelos governantes da época, como a extinção do Diário Oficial, anunciada na própria publicação.

O projeto Livro Solidário, da Imprensa Oficial, também estará presente na feira, com uma campanha de arrecadação de livros infantojuvenis e gibis. Com um ano de existência e por meio da parceria firmada com a Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop), o projeto inaugura, dias 26 e 27 deste mês e em 2 de outubro os três primeiros Espaços de Leitura.

O espaços vão funcionar na unidade de Benevides da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa); na Escola de Ensino Fundamental Associação Cristã do Benguí; e no Grupamento do Corpo de Bombeiros de Ananindeua. A previsão é que até o fim do ano mais quatro sejam inaugurados. Ao todo, os seis espaços atenderão a um público de cerca de 15 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos.

Preferencialmente serão arrecadados livros infantojuvenis e gibis (novos ou usados). As doações podem ser feitas no estande da Imprensa Oficial do Estado na XVI Feira Pan-Amazônica do Livro ou junto à coordenação do projeto, na travessa do Chaco, 2.271, bairro do Marco.

Texto:
Keila Rodrigues - IOE
Fone: (91) 4009-7841 / (91) 8309-5953
Email: keilar.jornalismo@gmail.com

Livro Solidário abre oportunidade de leitura para adolescentes da Fasepa


Foto: Fenando Sette
Foto: Fenando Sette

Foto: Fenando Sette


Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 26/09/2012 às 16:12


“Os livros abrem caminhos para a construção do nosso caráter e ajudam na nossa formação. Sabemos que somente pela educação é possível criar novas possibilidades”. Com esta frase um dos socioeducandos da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) - unidade Benevides -, abriu a cerimônia de implantação do primeiro Espaço de Leitura Livro Solidário, na manhã desta quarta-feira (26). Os convidados foram recepcionados por um grupo de percussão formado por adolescentes da própria instituição. A música é uma das atividades desenvolvidas pelos jovens que cumprem medida socioeducativa na instituição.

A iniciativa, coordenada pela Imprensa Oficial do Estado do Pará (IOE), faz parte da terceira etapa do projeto, que teve o início marcado pela campanha de arrecadação de livros, revistas e gibis. Para o presidente da Imprensa Oficial, Cláudio Rocha, a leitura é fundamental para o desenvolvimento humano. “Ler me fez, imaginar, sonhar e amadurecer. Por isso, estou feliz em poder colaborar com o desenvolvimento dos adolescentes que estão aqui”, relatou. Ele ainda destacou, que além da questão da leitura, o Livro Solidário também promove cidadania.

Para a presidente em exercício da Fasepa, Angelina Valente, o espaço contribuirá para inclusão social dos adolescentes. “Muitos jovens que aqui estão não foram estimulados a terem contato com a leitura quando estavam lá fora. Aqui dentro e essa aproximação será estimulada, como forma de favorecer as escolhas e os projetos de vida deles”, disse ela. Já o gestor da Unidade, Carlos Parente, entende que a iniciativa é muito importante para a Fasepa. “Promover atividades em que estes jovens saiam do quarto-cela e não fiquem apenas trancafiados é fundamental para a socioeducação”, comenta.

O Projeto Livro Solidário, faz parte do “Articulação e Cidadania”, tendo começo em 2004, idealizado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene. No evento, ela foi representada pela sub-chefe da Casa Civil, Lucila Serique, que avaliou que a leitura possibilitará aos adolescentes meios para torná-los cidadãos mais conscientes de seu papel social. “Por meio da leitura desenvolvemos valores, o nosso caráter, aprendemos a respeitar as pessoas e conviver em sociedade, pois é através dos livros que se formam os cidadãos”.

A revitalização e entrega dos espaços é resultado da parceria firmada entre a Imprensa Oficial do Estado (IOE) e Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop). Os seis primeiros espaços atenderão a um público de aproximadamente 15 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos. O acervo dos espaços é formado por títulos arrecadados na campanha desenvolvida pelo Livro Solidário desde 2011, quando foi lançado o projeto.

Serviço - Atualmente, o projeto está recebendo, preferencialmente, livros infanto-juvenis e gibis (novos ou usados), que podem ser doados junto à coordenação do projeto, na Imprensa Oficial do Estado, localizada na Travessa do Chaco, 2271.

Texto:
Keila Rodrigues - IOE
Fone: (91) 4009-7841 / (91) 8309-5953
Email: keilar.jornalismo@gmail.com

Adolescentes atendidos pela Fasepa recebem Espaço de Leitura

Foto: Keila Rodrigues

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 21/09/2012 às 11:13


Dois Espaços de Leitura do projeto “Livro Solidário” serão inauguradas pela Imprensa Oficial do Estado nos dias 26 e 27 de setembro, na unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) em Benevides e na Escola de Ensino Fundamental Associação Cristã do Benguí, respectivamente. Esta é a terceira etapa do projeto, sendo que o início foi marcado pela campanha de arrecadação de livros, revistas e gibis; e a segunda, pela seleção, higienização e organização do acervo arrecadado. A revitalização e entrega dos Espaços de Leitura é resultado da parceria firmada entre a Imprensa Oficial do Estado (IOE) e Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop). Os seis primeiros espaços atenderão a um público de aproximadamente 15 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos.

Para Lucila Girão, a realização desta etapa do projeto é a concretização de um desafio. “Ao longo de um ano em que o projeto foi desenvolvido, a mobilização de forças de parceiros institucionais e a participação da sociedade foram fundamentais para o sucesso do Livro Solidário”, comemora a socióloga, destacando que os Espaços de Leitura foram planejados para incentivar a permanência de crianças e adolescentes no local onde vivem e onde desenvolvem suas atividades de lazer. “Nosso objetivo é estimular os gerentes destes espaços a realizarem programações que atraiam a comunidade”, acrescenta, ressaltando que o propósito do projeto é incentivar o hábito da leitura, sobretudo, para ajudar na promoção do desenvolvimento sociocultural em comunidades com altos índices de vulnerabilidade social.

História - O Projeto Livro Solidário começou em 2004, idealizado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene. Em 2011, foi retomado pela Imprensa Oficial e faz parte do "Articulação e Cidadania", do Governo do Pará. Atualmente, já foram arrecadadas aproximadamente 20 mil publicações, número divulgado pela última parcial de contagem do acervo divulgada no início do mês de setembro.

Atualmente, o projeto está recebendo, preferencialmente, livros infanto-juvenis e gibis (novos ou usados). Doações podem ser feitas junto à coordenação do projeto, na Imprensa Oficial do Estado, localizada na Travessa do Chaco, 2271.

São também parceiros do projeto Livro Solidário, as seguintes instituições: Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Secretaria Executiva de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), Secretaria de Estado de Obras Públicas (Sepof), Hospital Ophir Loyola (HOL), Santa Casa do Pará, Loteria do Estado do Pará (Loterpa), Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), Sociedade Bíblica do Brasil.

Texto:
Keila Rodrigues - IOE
Fone: (91) 4009-7841 / (91) 8309-5953
Email: keilar.jornalismo@gmail.com

Imprensa Oficial do Estado
Travessa do Chaco, 2.271. Belém-PA. CEP: 66093-410
Fone: (91) 4009-7860 / 7800 / 7801
Site: www.ioe.pa.gov.br Email: gabinete@ioe.pa.gov.br / presidente@ioe.pa.gov.br

Livro Solidário faz um ano com a inauguração de Espaços de Leitura

Foto: Fernando Sette

 
Foto: Fernando Sette



Foto: Fernando Sette
Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 20/09/2012 às 20:29


A unidade de atendimento da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Faspea) em Benevides, na região metropolitana de Belém, ganha, na próxima quarta-feira (26), um “Espaço de Leitura” do projeto “Livro Solidário”, uma iniciativa da Imprensa Oficial do Estado que tem como objetivo facilitar o acesso aos livros nas comunidades com maiores índices de vulnerabilidade social. Este ano a ação comemora um ano de lançamento na XVI Feira Pan-Amazônica do Livro.

Benevides será o primeiro “Espaço de Leitura” implantado pelo projeto, que até 15 de outubro abrirá outros cinco, na Escola de Ensino Fundamental Regime de Convênio Associação Crista do Benguí; Grupamento de Bombeiro Militar do Coqueiro; organização não governamental (ONG) Viva Mosqueiro; Associação Assistencial Lar de Maria; e Escola em Regime de Convênio Lar de Maria. “A meta é inaugurar pelo menos dez espaços até o fim do ano”, prevê a coordenadora do projeto, Carmem Palheta.

O “Livro Solidário” faz parte do Programa de Articulação e Cidadania, coordenado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene. Lançado em 2004, o projeto foi retomado em 2011 pela Imprensa Oficial, durante a Feira Pan-Amazônica do livro, ocasião em que foram arrecadados cerca de dois mil exemplares. Em um ano, frente às inúmeras campanhas de doação, o acervo já dispõe de 15 mil livros.

A equipe da Imprensa Oficial também faz a catalogação dos livros, de acordo com o publico específico que o espaço vai atender, além de ser responsável pela reforma do espaço, adequação visual e infraestrutura, etapa executada em parceria com a Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop). “Os espaços são totalmente reformados, recebem um layout adequado e um acervo elaborado de acordo com o público”, explica Carmem Palheta.

Outra ação do projeto são os carrinhos de leitura, espécie de biblioteca móvel que irá atender os pacientes do Hospital Ophir Loyola e Santa Casa de Misericórdia do Pará. A previsão é que até a primeira quinzena de outubro, os equipamentos sejam implementados. “Esses acervos têm media em 400 exemplares por carrinho, para atender os pacientes que não podem sair do leito”, justifica a coordenadora.

Além de receber doações de varias fontes, o projeto faz campanhas em eventos, a exemplo da Feira do Artesanato Mundial, ocorrida em agosto, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. A partir desta sexta feira (21), o público que visitar a XVI Feira Pan-Amazônica do Livro também pode colaborar doando um livro, no estande da Imprensa Oficial. As doações também podem ser feitas diretamente na sede do órgão, na travessa do Chaco, bairro do Marco.

Texto:
Danielle Ferreira - Secom
Fone: (91) 3202-0912 / (91) 9117-7020/ 8272-3665
Email: danielleferreira@agenciapara.com.br

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Leitura como instrumento de cidadania

Clipping da matéria veiculada no Jornal O Liberal de 6 de setembro de 2012.
O texto fala, de maneira bem abrangente, sobre a atuação do Livro Solidário, dos desdobramentos do projeto desde sua criação e as perspectivas para o futuro.

Leia aqui a matéria, na íntegra.


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Livro Solidário divulga projeto na Feira do Artesanato Mundial

Foto: Divulgação
Ascom Imprensa Oficial do Estado

Texto: Keila Rodrigues


 
Para ganhar mais visibilidade e aumentar o volume de arrecadações, o Livro Solidário participa de mais um evento de grande porte, a partir do próximo sábado (4). Trata-se da Feira do Artesanato Mundial (FAM), da qual participarão artesãos de todo o Brasil e de mais 20 países. A Feira acontecerá de 4 a 12 de agosto de 2012, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. Dentre as atividades que serão destaque na participação do projeto durante o evento está a divulgação da campanha de arrecadação de gibis, livros infanto-juvenis e paradidáticos para compor, entre outros, o acervo dos carrinhos de leitura dos hospitais Ophir Loyola e Santa Casa de Misericórdia do Pará. 

O Livro Solidário faz parte do “Articulação e Cidadania” do governo do Pará, coordenado pela primeira-dama do Estado, Ana Jatene. Começou em 2004; e em 2011 foi retomado pela Imprensa Oficial do Estado. Atualmente, já foram arrecadadas aproximadamente 15 mil publicações. Parte dos livros que irão compor o acervo dos Espaços de Leitura já está catalogada. 

Já para a campanha de arrecadação de gibis e livros infanto-juvenis, a estimativa é de que, para atender cada carrinho de leitura, sejam necessários cerca de 400 livros e revistas. Ao todo, serão disponibilizados seis carrinhos para cada hospital. Significa dizer que cada instituição será contemplada com aproximadamente 2.400 exemplares. 

Para uma das coordenadoras do projeto, Lucila Girão, participar do evento é mais uma oportunidade de mostrar como está se desenvolvendo um importante projeto social governo do Estado, além de esclarecer ao público sobre a importância da participação da sociedade. “Livro Solidário é um projeto como o nome já diz: solidário. Logo, conta com a boa vontade e a generosidade em doar. Doando livros, sejam novos ou usados, estaremos contribuindo para a formação, inclusão e valorização de crianças e adolescentes, para que no futuro se tornem homens íntegros", explicou a socióloga. 

Programação – A FAM é uma representação do que se produz no mundo. No local também acontecerá a venda direta, bem como a publicidade e a promoção de produtos com a finalidade de atrair empresários lojistas, que sempre visitam as feiras em busca de novos produtos e fornecedores. O horário de funcionamento será durante a semana, das 16 h às 22h; e das 11 h às 22 h aos finais de semana. 

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Livro Solidário recebe livros da Seduc

Ascom Imprensa Oficial do Estado

Desde o início do mês de agosto, o projeto Livro Solidário conta com um importante reforço para aumentar o acervo de livros infanto-juvenis, necessários para atender aos Espaços de Leitura que serão implantados pelo projeto. A parceria foi selada no último dia 24 de julho, durante reunião entre com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Imprensa Oficial do Estado (IOE). 

Na ocasião, o secretário da Secretaria Adjunta de Logística Escolar (Sale), José Santos Croelhas,ressaltou o interesse da Seduc em participar do projeto, sem prejuízo às atividades desenvolvidas pelo órgão que atende às escolas públicas do Estado, com o envio de livros. A gerente da Coordenadoria de Apoio ao Estudante (CAE), Janete Sousa Cristinae a coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Escolares (Siebe), Hellen dos Anjos, ambas da Seduc, também enfatizaram que o atendimento à demanda do Livro Solidário foi possível a partir do envio de excedente de livros paradidáticos e infanto-juvenis que são recebidos pela secretaria. “Agora, esse excedente vai chegar, também, a outras crianças e jovens que não possuem condições de adquirir livros”, disse Hellen dos Anjos. “Além de representar um incentivo à leitura, é também parte de nosso compromisso com a responsabilidade social e a educação de nossas crianças”, destacou. 

Para a diretora do Diário Oficial, jornalista Carmen Palheta, o apoio da Seduc significa mais um passo para potencializar e replicar a responsabilidade social do governo e da sociedade como um todo. “A natureza do Livro Solidário é o voluntariado e quanto mais parceiros se sensibilizarem com a possibilidade de doação de livros ao projeto, mais públicos leitores conseguiremos beneficiar”. 

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Espaços de Leitura do Livro Solidário serão entregues na Região Metropolitana

Foto: Keila Rodrigues / Ascom IOE


Ascom Imprensa Oficial do Estado


Texto: Keila Rodrigues 


Até setembro deste ano, pelo menos três Espaços de Leitura do projeto Livro Solidário serão inaugurados na Região Metropolitana de Belém. A notícia foi dada na manhã desta sexta-feira (15) pelo presidente da Imprensa Oficial do Estado (IOE), Cláudio Rocha, durante assinatura do Termo de Cooperação Técnica firmado com a Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop). Conforme o documento, a secretaria vai promover a revitalização e padronização dos espaços. Os seis primeiros atenderão a um público de cerca de 15 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos. Ao todo, até o final de 2014, o projeto deverá implantar 10 espaços do mesmo gênero, em áreas com maior índice de vulnerabilidade social.

A formalização da parceria foi realizada na sede da IOE e contou com a participação de membros do "Articulação e Cidadania", que representaram a primeira-dama do Estado, Ana Jatene. Também estiveram presentes o secretário de Estado de Obras Públicas, Joaquim Passarinho; o secretário adjunto, Pedro Abílio do Carmo, engenheiros e demais servidores da Seop, do Livro Solidário e diretores da Imprensa Oficial.

Para Cláudio Rocha, a inauguração das unidades significará uma importante mudança na realidade das localidades beneficiadas. “Investir em educação é fundamental para o desenvolvimento pleno de uma sociedade, e a biblioteca, mesmo que modesta, tem o potencial de provocar grandes mudanças na vida das pessoas e, consequentemente, nas comunidades onde estão inseridas”, ressaltou.

O secretário Joaquim Passarinho destacou que “o governo também é feito de pequenas obras que, apesar de não serem grandes física e financeiramente, são importantes para a sociedade, sobretudo por estarem mais próximas do cidadão”. Para ele, participar do Livro Solidário é também uma maneira de colaborar para a valorização da cidadania e uma oportunidade para promover a inclusão social. “A leitura e o conhecimento são ferramentas que temos e devemos apoiar sempre, pois não vamos mudar a realidade do nosso país ou do nosso Estado se não levarmos o conhecimento às pessoas”, ratificou.

Acervo - O Projeto Livro Solidário começou em 2004, idealizado por Ana Jatene. Em 2011, o projeto foi retomado pela Imprensa Oficial e faz parte do "Articulação e Cidadania", do Governo do Pará. Atualmente, já foram arrecadadas aproximadamente 15 mil publicações. Parte dos livros que irão compor o acervo dos Espaços de Leitura já está catalogada. A estimativa é que, para atendê-los, sejam necessários 8 mil livros e revistas.

A revitalização e implantação dos Espaços de Leitura fazem parte da terceira etapa do projeto. O início foi marcado pela campanha de arrecadação de livros, revistas e gibis, e segunda etapa pela seleção, higienização e organização do acervo, arrecadado por uma equipe de bibliotecários cedida pela Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof).

terça-feira, 5 de junho de 2012

O homem que montou dezenas de bibliotecas solidárias - Entrevistador Edney Silvestre (Rede Globo)


“Olhares Maternos” marca Dia das Mães na Imprensa Oficial

Foto: André Rendeiro

Ascom Imprensa Oficial do Estado
Texto: Keila Rodrigues

Servidoras da autarquia foram fotografadas com seus filhos
e surpreendidas com mostra fotográfica


Uma exposição de fotografias em preto e branco das servidoras da Imprensa Oficial do Estado marcou a homenagem da autarquia a todas as mães que compõem o quadro funcional. Denominada “Olhares Maternos”, a exposição montada em formato de um grande varal, mesclado com poesias de diversos autores, compôs, na manhã desta sexta-feira (11), o efeito surpresa do evento promovido especialmente para homenagear e valorizar as servidoras que são mães. Ao todo, vinte e sete delas foram fotografadas em companhia de seus filhos, pelas lentes do fotógrafo e também servidor da IOE, Fernando Sette Câmara. O resultado de três semanas de sessões fotográficas pôde ser visto, com entusiasmo, durante o evento.

Para Antonia Araújo, que posou ao lado dos dois filhos, a iniciativa promoveu mais integração e bem-estar entre todas as servidoras homenageadas. “Esse tipo de valorização é fundamental para a nossa autoestima”, ressaltou. Para ela, os pequenos detalhes são capazes de fazer um bem enorme e trazer resultados muito positivos para a instituição. “Geralmente, ficamos restritos às nossas atividades e nem sempre podemos conhecer todos os colegas. Por isso, este momento foi importante para, também, nos conhecermos melhor e nos confraternizarmos”, acrescentou.

Consuelo Chagas, servidora da Imprensa há mais de trinta anos, elogiou a ação que disse refletir a importância da valorização do servidor. “Quando estamos em um ambiente de trabalho acolhedor, trabalhamos mais motivados. Acho que não há quem não goste de ser valorizado”, disse, observando que nos últimos meses, a participação dos colegas nos eventos da autarquia aumentou significativamente.
Brindes - Além da mostra fotográfica, todos os servidores foram presenteados com um livro desenvolvido e editado pela própria IOE, contendo receitas, poemas de diversos autores e conselhos – alguns retirados do livro “Só para Mulheres”, de Clarice Lispector. Também foram entregues um porta-retrato pela Associação dos Servidores da Imprensa Oficial, bem como cópias de fotografias das sessões fotográficas realizadas. Todo o material foi entregue em uma sacola ecológica confeccionada pela Fábrica Esperança.

Para o presidente da autarquia, jornalista Cláudio Rocha, a iniciativa da homenagem faz parte de um modelo de gestão com foco voltado para a valorização do servidor como forma de aperfeiçoar a produção e as relações de trabalho. “Na medida em que valorizamos o ser humano, priorizamos também a qualidade dos serviços prestados por nossa instituição. Como passamos grande parte do nosso tempo no trabalho, é fundamental que este local seja, de fato, um ambiente acolhedor”, explicou.
Visita – A exposição também contou com a presença da primeira-dama do Estado, Ana Jatene, que prestigiou a mostra fotográfica e aproveitou para visitar as dependências da Imprensa, incluindo o ambiente do projeto Livro Solidário. Na ocasião, ela recebeu um exemplar do projeto encartado no formato de revista, em policromia. Entusiasmada com o projeto e com a produção da gráfica da autarquia, a primeira-dama elogiou a iniciativa da exposição e disse que a ideia de unir mães e filhos de servidoras enriquecia ainda mais o sentido de integração entre todos.

Livro Solidário participa de Feira do Livro Infantil

Foto: Livro Solidário
Ascom da Imprensa Oficial do Estado 
Texto: Keila Rodriges
 
A principal atração do evento foi o amor ao próximo, que alterou a
ordem dos fatos e fez do público parte do espetáculo da solidariedade

O projeto Livro Solidário participou, de 16 a 20 de abril, da “II Feira do Livro Infantil”, realizada pelo colégio Santa Rosa, em Belém, para comemorar o Dia Nacional do Livro Infantil, que aconteceu no dia 18/04. A coordenação do projeto aproveitou o momento para ampliar a divulgação da campanha de arrecadação de livros entre os alunos daquela escola, instalando um ponto de arrecadação de livros no local da Feira.

Com a expectativa de aumentar o alcance da divulgação do projeto, a coordenação do evento distribuiu o material contendo todas as informações sobre o Livro Solidário e orientou os alunos sobre a importância da Campanha. Para Cássio Antônio Trindade, 14 anos, voluntário na biblioteca da escola, a experiência de praticar a solidariedade além de ser enriquecedora, também favorece todos os envolvidos. “É muito bom ajudar as pessoas a seguirem um bom caminho em suas vidas, além disso, quem ajuda também é beneficiado. Acho que se mais trabalhos assim existissem, o Brasil melhoraria muito, pois a educação é o principal caminho para a gente crescer na vida”, avalia o estudante.

O colégio faz parte do grupo de parceiros que apoiam o Projeto Livro Solidário desde 2011, quando ele foi reiniciado pelo Núcleo Ação e Cidadania, sob a coordenação da Imprensa Oficial do Estado. A diretora administrativa do Colégio, Irmã Leide Macedo, avalia que a parceria é importante para escola, considerando que o Projeto baseia-se em valores já trabalhados ao longo toda a sua existência. “Estamos muito satisfeitos com a parceria entre a escola e o Livro Solidário, haja vista que a proposta apresentada pelo projeto vai ao encontro do que já é trabalhado no cotidiano da família santarosense, ou seja, a solidariedade e a educação”, observou.

De acordo com Cláudia Oliveira, gerente da biblioteca do Colégio Santa Rosa, a iniciativa da organização do Projeto em promover uma pequena campanha de arrecadação durante a Feirafoi positiva, pois despertou o interesse dos alunos para o tema e fez com que eles aderissem espontaneamente à causa. “Ações solidárias já são incentivadas há mais de 10 anos na escola, sempre com a colaboração dos estudantes, pois aqui trabalhamos a formação integral de nossos alunos, e não apenas o lado educacional, mas também o lado humano”, ratificou.

Em apenas dois dias de Feira a organização do evento já havia arrecadado quatro caixas de livros. Ainda de acordo com Cláudia a campanha de arrecadação durante o evento foi um sucesso graças ao engajamentos dos alunos. “Entendemos que é muito importante incentivar nossos alunos a exercer a solidariedade colaborando para educação de crianças que não possuem as mesmas oportunidades que eles. Neste evento, houve até o caso de um aluno comprou um livro a mais para poder doar o outro”, ressaltou a bibliotecária.

Entre as principais atrações do evento que apresentaram-se, respectivamente, nos dias 16, 17 e 18, estiveram o lançamento do livro "A Menina e a Fofolete Azul" da escritora Bella Pinto; a apresentação da atriz Maria Borges com a personagem "Matinta Encantada" e o lançamento do livro "Lendas Amazônicas para Crianças" da escritora Nazaré Mello. Além dos lançamentos, outras publicações infantis doadas por editoras, estão à venda na Feira por um custo menor, e sua renda será destinada a instituições apoiadas pela Congregação Filhas de Santana.



quinta-feira, 31 de maio de 2012

Programas do governo ganham destaque na Pará Negócios

FOTO: ELISEU DIAS/ AG. PARÁ
Da Redação
Agência Pará de Notícias
Texto: Amanda Engelke - Secom 

O Núcleo de Articulação e Cidadania do Governo do Pará está presente na feira multisetorial Pará Negócios, promovida pela Associação Comercial do Pará (ACP) até este domingo, 15, no Hangar. Em um grande espaço montado na área de exposições do Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, vários programas executados pelo governo, por intermédio do NAC, vem chamando a atenção dos visitantes.

A artesã Vera Miranda, 54 anos, conferiu e aprovou o trabalho produzido pelo programa Cultivando Flores e Vidas, resultado de uma parceria entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), Casa Civil e Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). Ela conta que tem uma grande paixão por flores e admira o trabalho desenvolvido pelos egressos atendidos com o programa do Governo do Estado. “Tenho um filho de 24 anos que está preso. Quando isso aconteceu pensei que não fosse aguentar, mas graças ao programa e às pessoas que estão a frente dele conheci vários amigos e meu filho pode ter uma ocupação”, diz ela.

Colecionadora de plantas e flores, ela conta que mais que uma ocupação, lidar com plantas virou uma terapia. “Tenho várias orquídeas em casa. Todo o mês de novembro, quando faço aniversário, elas ficam floridas. Esse é sempre o melhor presente que posso receber. Elas são uma alegria para mim, se eu pudesse levava todas”, disse a artesã, enquanto escolhia uma das muitas espécies à venda no estande do programa.

O programa Cultivando Flores e Vidas tem como objetivo a ressocialização, por meio da capacitação profissional e egressos e albergados do Sistema Penal do Estado. Durante o curso de capacitação, com duração de um ano, são ensinadas técnicas de manejo e noções sobre o mercado de flores. 

A Susipe também colocou à exposição, no espaço, os produtos confeccionados pelo projeto de reinserção interna, através da Fábrica Esperança. O diretor comercial da Fábrica, Alcindo Neves, explica que as peças apresentadas no estande são todas produzidas por egressos, que podem ser encomendadas por empresas e outras entidades interessadas. “Além do custo abaixo de mercado,o empresário estará ajudando a manter um projeto social que visa a capacitação e socialização desses indivíduos, e não meramente o lucro”, destaca, destacando que no estande ainda podem ser vistas peças em serigrafia e vestuário, como camisas, uniformes e roupas hospitalares, além de pães e outros itens produzidos nas atividades de panificação.

Carlos Alberto Amador, de 29 anos, foi um dos beneficiados pelo projeto de reinserção da Susipe e hoje em dia trabalha como assistente administrativo da Fábrica Esperança. “Essa foi uma oportunidade muito importante na minha vida. Sempre fui de ter muita determinação, e é possível que estivesse trabalhando hoje em dia, da mesma forma, mas essa oportunidade foi mais do que uma porta aberta”, declarou Carlos, que apresenta aos visitantes do estande toda a linha de produção da unidade de apoio aos egressos do sistema penal.

Cultura – O Projeto Livro Solidário também está presente no espaço reservado ao Governo do Estado. Desta vez, o objetivo da participação na feira é arrecadar apenas livros infanto-juvenis, gibis e publicações literárias, que podem ser doados diretamente no estande. Criado em 2004, o programa foi retomado em 2011 pela Imprensa Oficial do Estado e já arrecadou, desde então, cerca de 13 mil livros.

Os volumes catalogados já estão prontos para compor o acervo do primeiro Espaço de Leitura, que deverá ser inaugurado neste ano. Ao lado dele, outros cinco espaços serão implantados e revitalizados, considerando que uma das metas do projeto é transformar esses ambientes em lugares atrativos e agradáveis para a leitura. A estimativa é que, pra atendê-los, sejam necessários oito mil livros e revistas.

Outra demonstração de responsabilidade social e de cidadania está no espaço da Fundação Curro Velho, que trabalha com crianças e jovens na direção do aprendizado de artes plásticas e cênicas, música, audiovisual e ofícios diversos, como a lutheria a produção de artesanato e papietagem. Lúcia Edna Souza, da equipe de interiorização da Diretoria de Extensão do Curro Velho, explica que todos os itens expostos no estande são oriundos de oficinas da fundação. De cunho sustentável e todos produzidos a partir de matérias recicláveis, as peças variam de R$ 15,00 a R$ 80,00.




Articulação pela Cidadania apoia projetos que estão na Feira de Negócios

Da Redação
Agência Pará de Notícias
Texto: Janise Abud - Casa Civil 

Alguns exemplos do resultado de ações integradas entre o governo do Estado, iniciativa privada e a sociedade civil podem ser vistos em dois estandes da Feira Paránegócios, que acontece no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia até domingo (15). Os estandes mostram projetos que o programa Articulação e Cidadania, da Casa Civil da Governadoria, apoia em diversos segmentos.

É possível ver a produção de cooperativas, de jovens que cumprem medidas socioeducativas, de egressos da Superintendência do Sistema Penal (Susipe) e ainda exemplos de programas e projetos que ajudam na redução da pobreza e das desigualdades sociais, como o Natal D’Água, Cultivando Flores e Vidas, Livro Solidário e Escola da Vida, entre outros.

Walmir da Silva do Carmo estava presente no estande vendendo produtos da Cooperativa dos Caetés de Bragança. A entidade reúne 40 pessoas que fazem produtos diversos, entre eles cremes hidratantes feitos com produtos da natureza, como andiroba, buriti e murumuru, até feijão capupi, farinha de tapioca e cocada. “Estar aqui mostrando os produtos é muito bom para nós. É a oportunidade que temos de divulgar nosso produto e ganhar mais espaço no mercado”, avaliou.

Os produtos da Fábrica Esperança fazem sucesso na feira. A organização social que promove a reinserção social de egressos do sistema penitenciário levou para os estandes do Articulação e Cidadania artigos de rouparia, pintura e panificação. Segundo o egresso Carlos Amador, que trabalha na fábrica como assistente administrativo, a iniciativa do governo do Estado ao dar a oportunidade ao egresso de ter uma profissão é muito importante, principalmente para as famílias que sofrem muito quando eles estão presos. “É uma oportunidade única, que ajuda a nossa vida a tomar um novo rumo”, afirmou.

A Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) levou para a feira exemplos de projetos que estão ajudando adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, como o projeto Terra Viva e o Pneu Móveis. Os móveis feitos com pneus foram a grande novidade do evento e foram vendidos no primeiro dia. Segundo o técnico agrícola da Fasepa, Jaracelyr Pereira, a instituição está trabalhando a ressocialização e a conscientização ambiental, além de estar formando mão-de-obra.

O projeto Pneu Móveis está sendo desenvolvido em uma unidade da Fasepa em Benevides, onde os jovens produzem os móveis. “Recebemos aqui na feira a visita de pessoas do Sebrae que se interessaram pelo produto e há a possibilidade de uma parceria para nos orientar a lançar o produto no mercado”, revelou.

A assistente social da fundação, Kátia Santos, lembrou a parceria entre Fasepa e Secretaria de Estado de Administração (Sead), que está inserindo os jovens em órgãos do Estado como bolsistas. “Já há socioeducandos na Sepof, Funtelpa, Loterpa, Defensoria e nos Tribunais de Justiça e de Contas do Estado”, revelou.

Podem ser vistos nos estandes também trabalhos da Emater, por meio da Unidade Didática Agroecológica do Nordeste Paraense, situada em Bragança, e da Associação Talentos em Movimento, do município de Paragominas.



terça-feira, 17 de abril de 2012

Atração reforçou divulgação do Livro Solidário na Pará Negócios



Ascom IOE

O estande Articulação e Cidadania ficou lotado por causa do mágico que entre vários truques, fazia surgir uma carta nas mãos dos visitantes com informações sobre o projeto. 

Muita informação e interação com o público marcaram a participação do Projeto Livro Solidário na Feira Multisetorial Pará Negócios 2012, que aconteceu de 12 a 15 deste mês, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. No último sábado (14), o estande do governo do Estado, “Articulação e Cidadania”, ficou movimentado com a presença do mágico Ely Carlos Almeida, servidor da Imprensa Oficial, que promoveu brincadeiras e truques para atrair o público e, dessa forma, levar informações sobre o projeto. Um dos truques mais aplaudidos foi quando ele fazia surgir uma carta contendo informações sobre o projeto nas mãos dos visitantes.

A professora Elenice Luz, que visitou o estande, considerou a iniciativa do projeto bastante interessante e disse que, “além de promover o acesso das crianças à literatura, também é fundamental o trabalho de divulgação acerca da sua existência, pois muitas vezes, até existem trabalhos desse gênero em comunidades, mas eles não são divulgados e muita gente acaba ficando sem saber como colaborar”, observou. 

A participação do Livro Solidário na feira também serviu para informar o público sobre a nova etapa da ação, cujo foco está voltado para a implantação e revitalização de Espaços de Leitura e arrecadação de livros infanto-juvenis, revistas em quadrinhos e literatura diversa. Para Ana Paula Duarte, bibliotecária do projeto, o contato direto com o público proporcionado por esse tipo de evento “funciona como uma espécie de termômetro que possibilita saber onde estão as reais necessidades da comunidade”. Ela conta que durante a feira, pessoas de diversos bairros da capital e do interior visitaram o estande com o intuito de, também, se informarem sobre como implementar espaços de leitura em suas comunidades. “Esse tipo de contato fez com que o Livro Solidário se fortalecesse como uma ação de governo que procura despertar a solidariedade nas pessoas através do incentivo à leitura”, avaliou. Segundo ela, a presença do mágico reforçou ainda mais a divulgação e colaborou para ampliar o alcance do projeto.