sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Bairro da Marambaia ganha Espaço de Leitura da Imprensa Oficial

O Centro Comunitário Nova Marambaia (CCNOMA), no bairro de mesmo nome, em Belém, recebeu na manhã desta sexta-feira, 20, um Espaço de Leitura do projeto Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial do Estado em parceria com o Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC). A implantação foi possível graças à iniciativa de professores que estão à frente do Centro e que, em meio a atividades lúdicas e esportivas ali desenvolvidas, sentiram necessidade de, também, reforçar a educação dos alunos com um espaço destinado à leitura.

“Na nossa comunidade, temos várias escolas de nível fundamental e a gente atende a esses alunos nas atividades esportivas. E são eles que a gente pretende trazer pra dentro da biblioteca e fazer com que conheçam esse mundo da leitura, e se apaixonem pelos livros”, disse a professora e diretora do CCNOMA, Renata Renata Lavareda, a idealizadora do espaço destinado à biblioteca comunitária.

Para diretora e coordenadora do projeto Livro Solidário, Carmen Palheta, “o livro é um instrumento de inserção social, pois a leitura permeia todas as profissões e todas as atividades. Não adianta você ser um grande esportista se você não tem uma base na leitura que é a ponte que dá acesso e embasamento pra fazer cada vez melhor qualquer atividade”.

O espaço refrigerado cedido pelo Centro Comunitário foi equipado com estantes, cerca de 600 livros e decorado com a identidade visual do projeto coordenado pela IOE, NAC e apoio da Secretaria de Estado de Comunicação do Governo do Estado. Alunos de escolas do ensino infantil que ficam no bairro, foram conhecer o espaço, que teve uma programação especial com apresentações esportivas e de música.

A aluna do 6º ano da escola Almirante Tamandaré, Evelyn Pantoja Costa, de 11 anos, gostou muito do espaço. Ela que faz parte da turma de karatê do Centro, contou que gosta de livros de terror e suspense. “Eu vi uns livros aqui que gostei muito. Vou ler, com certeza”, afirmou. Já o aluno Diogo Ferreira Aguinaga, de 9 anos e aluno do 4º ano, disse que gosta também de ler. “Eu gosto de revistas em quadrinhos e histórias de super-heróis. Essa aqui (mostrando uma revista da editora Marvel) é muito legal”, afirmou.
A professora de karatê Luciana Braga reforçou a importância da integração entre o esporte e a leitura. “A gente trabalha integrando o esporte, no caso o karatê, com a educação. E tendo um espaço de leitura vai ajudar e facilitar o aprendizado das crianças”, acredita, reforçando que uma biblioteca, seja pública ou comunitária é mais um incentivo para a leitura, “principalmente em um bairro carente como o nosso, e que as portas se abram para eles através da leitura também”, completou Braga.

Conceição Brayner, que representou a diretora geral do NAC no evento, Daniele Khayat, elogiou a iniciativa do projeto Livro Solidário que, segundo ela, “traz a mensagem pra comunidade, agregando valores em torno da leitura, da contação de história, entre outras atividades” e reforçou que o NAC possui como objetivo principal buscar essas parcerias e valores na própria sociedade, com resultados muito positivos.


Texto: Ronaldo Quadros Ascom IOE
Fotos: Lena Arruda
















quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Imprensa Oficial inaugura mais um Espaço de Leitura em Belém

A Imprensa Oficial do Estado inaugura nesta sexta-feira, 20, no Centro Comunitário Nova Marambaia, o 14º Espaço de Leitura do projeto Livro Solidário, com apoio do Núcleo de Articulação e Cidadania. O espaço começa com um acervo de cerca de 550 livros e revistas, entre didáticos, literatura infanto-juvenil e adulto, de pesquisa, religiosos, entre outros.

Segundo a técnica do Livro Solidário, Lucila Girão, os espaços de leitura são uma forma de, além de incentivar o hábito da leitura entre crianças, jovens e adultos, promover a inserção social e dar oportunidade para que uma parcela da população de determinado bairro ou lugar possa ter ambientes apropriados para a leitura. Ela observou que o projeto “está em sintonia com a iniciativa do governo do Estado de diminuir o índice de analfabetismo entre a população paraense, por meio da campanha ‘Leia. Mude sua história”, lançada pela Secretaria de Estado de Comunicação. 

Nesse sentido, o presidente do Centro Comunitário Nova Marambaia (CCNOMA), Júnior Bastos, informou que o Centro localizado no Conjunto Cohab, na Augusto Montenegro, atende parte da população do bairro com diversos projetos esportivos e de cidadania, mas sentia a carência de um espaço de leitura.

“Ao participar de reuniões e cursos disponibilizados pela NAC (Núcleo Articulação e Cidadania) tivemos conhecimento do Livro Solidário. Daí entramos em contato e iniciamos um diálogo. Depois de uma visita da equipe ao nosso espaço, começamos a implantação da biblioteca, com espaço apropriado e climatizado, com o objetivo de oferecer às crianças, adolescentes, adultos e melhor idade do bairro, espaço específico e acolhedor para leitura, pesquisa e estudos, resgatando dessa forma, a importância da leitura através de livros de diversas temáticas, que em breve terá dias e horários para o público frequentar o espaço”, pontuou.


Serviço: Inauguração de Espaço de Leitura
Data: 20 de outubro de 2017
Local: Av. Augusto Montenegro, KM 01 S/N – Conjunto Cohab Gleba I
Hora: 9h30 

Texto: Ronaldo Quadros
Ascom IOE


Escola agrícola de Marabá recebe doação do Livro Solidário

O Livro Solidário entregou na manhã desta quinta-feira, 19, cerca de 600 livros para a Escola Família Agrícola Professor Jean Hébette de Marabá, que vão ajudar na formação da biblioteca da escola. O acervo foi entregue pela direção do projeto ao coordenador pedagógico da escola, Damião Soledade dos Santos. Além dos livros, a IOE vai suprir a biblioteca com a identidade visual do projeto, a fim de contribuir para aumentar a atração do espaço por novos leitores.

Segundo Santos, a doação vai reforçar o acervo da biblioteca que foi deixado pelos padres que fundaram a instituição escolar, e vai ser utilizado no incentivo à leitura e produção textual ministrada na disciplina sobre linguagem, e também no sarau cultural que acontece uma vez no ano na escola.

“A nossa instituição funciona em alternância, onde os jovens ficam duas semanas na escola e duas semanas com as famílias nas comunidades rurais, já que são jovens camponeses”, esclareceu o coordenador pedagógico.

Damião Santos relatou que além do curriculum comum do Ensino Fundamental, as cerca de 100 crianças que frequentam a escola, recebem noções de agricultura, zootecnia, e toda a parte voltada para uma iniciação para a agricultura - foco principal do ensino.

Ele agradeceu a doação e louvou a iniciativa do governo do Estado, de possuir um projeto como o Livro Solidário. “Iniciativas como essa são de extremamente importância, pois são livros doados por outras pessoas que possuem uma biblioteca em casa e às vezes não têm mais espaço para guardar todos os livros; ou, então, de livros que não estão mais sendo utilizados. E colocam esse acervo a serviço de quem precisa. Assim, o governo do Estado cumpre um papel extremamente pedagógico e educativo”, pontuou. “Os livros vão ajudar na qualidade do nosso acervo e servirão pra pesquisa, leitura, e como suporte para os trabalhos desenvolvidos pelos professores e educadores da escola”, completou.

Redes sociais - Damião Soledade dos Santos disse que conheceu o projeto Livro Solidário por meio das redes sociais. “Eu estava navegando pela internet e me deparei com informações sobre o Livro Solidário. Mandei um e-mail pedindo apoio e hoje estou recebendo essa importante doação”, contou.

A coordenadora do Livro Solidário, Carmen Palheta acredita que as redes sociais sejam uma estratégia importante de divulgação para o projeto. “A gente fica feliz por saber que contamos com o alcance das redes sociais. É uma forma eficaz de divulgação e foi dessa maneira que a escola tomou conhecimento do projeto. Mais uma vez reforçamos o poder da comunicação e esse braço que é a rede social”, pontuou.


Para ela, a expansão do projeto para o interior do Estado é também uma forma de ampliar o público leitor. “Quando nós conseguimos extrapolar essas barreiras geográficas e chegar a um público que tem uma dificuldade maior de acesso ao livro, ficamos muito felizes por poder ajudar e saber que o projeto também pode formar mais leitores, como é o objetivo da campanha do governo do Estado”, finalizou.

Texto e foto: Ronaldo Quadros
Ascom Imprensa Oficial do Estado


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Secretaria de Transporte doa mais de mil livros para Imprensa Oficial

Ainda como parte da campanha Leia. Mude Sua História lançada pelo governo do Estado como forma de estimular a leitura entre a população paraense, a Secretaria de Estado de Transporte (Setran) entregou nesta quinta-feira, 5, mais uma quantidade de livros arrecadados entre funcionários e colaboradores. 

Com a entrega de hoje, já se somam mais de mil livros doados ao projeto de incentivo à leitura Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial do Estado, em parceria com o Núcleo Articulação e Cidadania, com apoio da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado (Secom).

A entrega foi feita pela gerente de Recursos Humanos, Rosa Maria do Vale que foi recebida pela técnica do Livro Solidário, Lucila Girão. Lucila agradeceu a doação e mostrou a destinação dos acervos recebidos pelos órgãos do governo e da população paraense. “Nós já temos catalogado e empacotado um grande número de livros que serão doados para municípios paraenses que nos têm solicitado edições de diversos gêneros literários, assim como para bibliotecas escolares e comunitárias”, relatou Girão.

Rosa Maria do Vale disse que tem buscado diversas fontes de doações de livros na Setran. “Eu converso com nossos fornecedores, com os estagiários e pessoas que estão em processo de mudanças para outros apartamentos e residências que tenham livros e queiram doar. A receptividade tem sido bem interessante. Eles nos doam e nós repassamos para o Livro Solidário”, pontuou.


Serviço: As doações de livros para o projeto Livro Solidário podem ser realizadas diretamente na sede Imprensa Oficial do Estado, localizada na Travessa do Chaco, 2271, no Bairro do Marco. Mais informações pelo telefone: 4009.7847.

Texto e foto: Ronaldo Quadros
Ascom Imprensa Oficial do Estado


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Biblioteca escolar recebe acervo do projeto Livro Solidário

Para dinamizar os projetos da biblioteca da Escola Estadual Raymundo Martins Vianna, localizada na Avenida Augusto Montenegro, o projeto de incentivo à leitura Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial do Estado repassou, na manhã desta sexta-feira, 29, cerca de 300 livros voltados para o público juvenil que estuda na escola, em três turnos. A entrega foi feita pela equipe do Livro Solidário às professoras Rita Moreira, bibliotecária da escola e Milene Ruivo, professora de língua portuguesa da instituição.

Segundo Rita Moreira, a doação vai ajudar a dinamizar ainda mais o espaço da biblioteca que leva o nome da professora Roberta Bandeira. “Temos um bom acervo, mas a gente sempre quer aumentá-lo com qualidade para ajudar no desenvolvimento dos nossos projetos como o Clube de Leitura, Cinema na Biblioteca, o Livro na Tela, e os saraus literários, que são realizados uma vez ao ano”, listou Moreira.

As professoras agradeceram a doação “que vai fazer com que a gente consiga atingir mais leitores na escola”, aposta Milene Ruivo. Os livros doados são livros direcionados ao público juvenil. 

“O nosso público é muito dinâmico: gosta de coisas novas. Claro que os livros de literatura clássica são excelentes, mas com a concorrência da mídia como está hoje, a gente tem que buscar alternativas que atraiam esse público. E a doação desse acervo vai ajudar muito a dinamizar esse trabalho” pontuou Moreira.

O contato com o Projeto Livro Solidário, que tem o apoio do Núcleo Articulação e Cidadania (NAC) e Secretaria de Comunicação do Estado do Pará (Secom), foi feito por meio do aluno Vinícius Machado, 17, da escola Raymundo Vianna, que viu a oportunidade de ajudar a aumentar o acervo da biblioteca da escola onde estuda.

“Eu gosto muito de ler e como eu trabalho na Imprensa Oficial, vi que podia ajudar indicando a escola para receber esse acervo que vai ajudar não só a mim, como aos meus colegas que frequentam a biblioteca”, contou. 

“É importante essa ponte entre as pessoas que conhecem o Livro Solidário e as escolas e outras instituições que trabalham como incentivo à leitura. O projeto acaba sendo um multiplicador de leitores, e isso é muito importante e estimulante para a permanência do projeto”, ressaltou Carmen Palheta, coordenadora do Livro Solidário.

Texto e fotos: Ronaldo Quadros






quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Imprensa Oficial entrega livros para projeto esportivo de Ananindeua

Mudar a realidade de jovens carentes do município de Ananindeua por meio do esporte está no foco do projeto ‘Jogo do Amanhã’ que, na manhã desta quinta-feira, 28, agregou mais valor ainda à iniciativa, com a doação  de cerca de 300 livros de diversos gêneros literários recebidos da Imprensa Oficial do Estado (IOE), por meio do projeto de incentivo à leitura Livro Solidário.  

Idealizado em agosto de 2015, o projeto “Jogo do Amanhã” reúne crianças de 7 a 15 anos, que participam de diversas atividades, aos sábados no centro comunitário do Conjunto Guajará I, em Ananindeua. Responsável pelo projeto, Edenize Ferreira, agradeceu a doação e informou que os livros serão usados em atividades pedagógicas que serão desenvolvidas pelos universitários voluntários do Jogo do Amanhã.  

“As crianças vão poder levar os livros emprestados. Ao devolver, depois de uma semana, elas vão contar sobre o que se tratava a história do livro, e em cima desse relato, os universitários vão criar atividades visando a melhora da leitura delas. E isso vai ajudar no desenvolvimento delas em sala de aula também”, pontuou Ferreira.

Segundo Edenize, o projeto social que teve no início apenas uma bola de futebol e dez crianças. Hoje se multiplicou e atende a 150 crianças e adolescentes. As atividades esportivas e de leitura são ministradas por 28 universitários que trabalham com as crianças e jovens em diversas atividades, desde o futebol até a leitura. “Tudo de forma voluntária”, reforçou. 

“Nós vivemos em uma área bastante carente e violenta, por isso temos como objetivo implementar na vida dos jovens a consciência natural de que eles têm direitos, deveres e oportunidade de algo melhor através do esporte, afastando do mundo das drogas e do crime”, acrescentou Ferreira.





quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Comunidade quilombola ganha Espaço de Leitura do Livro Solidário

A Comunidade Quilombola do Abacatal localizada no município de Ananindeua, foi contemplada nesta quinta-feira, 31, com o mais novo Espaço de Leitura do projeto Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial do Estado (IO), em parceira com o Núcleo Articulação e Cidadania (NA), e apoio da Secretaria de Comunicação do Estado do Pará (Secom).

O Espaço funciona na Escola Municipal de Ensino Fundamental Manoel Gregório Rosa Filho, que atende alunos entre 6 e 12 anos. O local foi equipado com estantes e recebeu toda a identidade visual que caracteriza os Espaços de Leitura, e já começa com um acervo de cerca de 300 livros doados pelo Livro Solidário, oriundos das doações recebidas da população paraense.

Durante a inauguração os alunos da escola mostraram todo o colorido do Boi Gregorinho, criado pelos professores e alunos. As internas do Centro de Socioeducação Feminino (Cesef), da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), parceira do Livro Solidário, apresentaram números de danças com coreografias montadas pelas próprias internas, que foram bastante aplaudidas.

Os alunos ficaram encantados como Espaço de Leitura que visitaram pela primeira vez. Joele dos Santos Silva, de 10 anos, passeava curiosa pelas estantes cheias de livros. Ela disse que gosta muito de historinhas e que ia conhecer novas aventuras pelos livros da biblioteca, onde funciona o Espaço de Leitura, e que possui o Cantinho da Leitura para estimular os alunos a desenvolverem a escrita a partir da leitura. “Achei tudo muito lindo. Vou vir sempre aqui para ler todos os livros”, disse empolgada.

Já Tainá Santos Silva, de 8 anos, contou que gosta de livros coloridas com historinhas, e que adorou o espaço, assim como Darcilene dos Santos Matos, de 6 anos.

Segundo a diretora da escola, Maria do Remédio Cardoso, o Espaço de Leitura não vai atender somente o corpo docente e discente da instituição: ele vai ser aberto para a comunidade. “Ele vai servir como espaço de pesquisa dos alunos da comunidade em geral, pois temos alunos que estudam fora da comunidade, cursando o fundamental maior, o médio e os que fazem faculdades também”, pontuou.

Ela contou como vai funcionar a dinâmica de utilização do espaço. “Nós vamos montar um calendário de visitas semanais dos professores com os alunos. Nós precisávamos de um espaço como esse na comunidade, pois a nossa carência de livros é muito grande. A gente tinha que sair pra fazer pesquisa, no Aurá e outros locais do centro de Ananindeua. O Espaço vai facilitar muito a nossa vida”, relatou Cardoso.

Para a coordenadora do Livro Solidário Carmen Palheta, a inauguração do Espaço de Leitura, vai ao encontro de um projeto maior do governo do Estado de estimular o hábito da leitura, principalmente, entre crianças e jovens do estado. “Por meio da leitura, essas crianças que ainda nem saber ler, passam a ser estimuladas por meio do contato com o livro, e desse estímulo que o Livro Solidário proporciona”, pontuou Palheta.

Texto e fotos: Ronaldo Quadros
Ascom Imprensa Oficial do Estado